O Messias

George Frideric Handel: Uma breve biografia de George e dos primeiros anos da obra O Messias

Infância

George Frideric Handel nasceu em um dia frio de fevereiro, em 1685, bem no centro da Alemanha. O pai dele era um barbeiro-cirurgião proeminente do duque local e ele determinou que aquele jovem George estudaria direito civil.

No entanto, George era atraído por coisas mais artísticas, especialmente a música. Ele era fascinado por instrumentos, os sons que eles podiam fazer e os sentimentos que eles podiam provocar. Sendo pragmático, seu pai interveio e o proibiu de fazer parte do que ele chamava de "disparate musical".

Isso não foi suficiente para impedir o jovem menino. De algum modo desconhecido, George conseguiu adquirir um pequeno clavicórdio e conseguiu escondê-lo em um quartinho no sótão. À noite, enquanto sua família estava dormindo, ele ia sorrateiramente para o andar superior de sua casa e tocava música, bem baixinho, até tarde da noite. Foi ali que Handel descobriu a magia da música.

Foi uma completa surpresa para a família e para os amigos da Igreja quando um dia o menino de 8 anos de idade subiu no banco do órgão e começou a tocar o poslúdio. Todos ficaram surpresos, especialmente o pai, que não tinha ideia do dom de seu filho. Ainda assim, seu pai firmemente o lembrou de que ele estava destinado a algo mais útil do que a música.

Por fim, Handel se matriculou na faculdade de direito de acordo com a vontade de seu pai, mas sua atração pela música era muito grande. Logo, ele deixou os limites da sala de aula e começou a viajar. Ele viajou de cidade em cidade, aprendendo o que ele podia sobre o estilo musical de cada área antes de finalmente se estabelecer em Londres, em 1711, aos 26 anos de idade. Em Londres, suas óperas e oratórios foram amplamente aceitas e Handel se tornou uma parte conhecida da música inglesa e dos círculos sociais.

Tempos difíceis

Na década de 1730, o público britânico começou a perder o entusiasmo por óperas cantadas em alemão ou em italiano e passou a dar preferência a espetáculos teatrais em inglês. Isso foi bom para Handel, que tinha dificuldades em pagar seus credores, e fez com que ele fosse até seu limite ao compor quatro óperas no mesmo ano.

Como consequência, Handel sofreu um derrame que paralisou seu braço direito. Um médico que o tratava disse: "Talvez consigamos salvar o homem - mas o músico se perdeu para sempre. Parece que seu cérebro foi atingido de modo irreversível".

Contudo, Handel se recusou a desistir e surpreendeu a todos quando recuperou, de modo milagroso, sua força e declarou: "Voltei dos mortos".

O oratório O Messias e seu legado

Em 1741, nadando em dívidas e deixando de ser um compositor adorado, Handel recebeu um manuscrito de Charles Jennens, um poeta com quem ele já havia trabalhado anteriormente. O manuscrito detalhava a vida de Jesus Cristo desde Seu nascimento e ministério até Sua Crucificação e Ressurreição. Em 22 de agosto, com 56 anos de idade, ele se trancafiou em sua casa em Londres e começou a compor músicas com textos bíblicos no manuscrito que anunciava a vida de Jesus Cristo. Em apenas 23 dias, ele completou um oratório de 260 páginas. Ele deu ao oratório o nome de O Messias.

Handel disse aos patrocinadores da primeira apresentação da obra O Messias em Dublin, na Irlanda, em 13 de abril de 1742, que os lucros daquela apresentação deveriam ser doados aos prisioneiros, órfãos e enfermos. "Eu mesmo já fui um homem muito doente, e agora estou curado", disse ele. "Já fui prisioneiro, mas reconquistei a liberdade."

A apresentação recebeu boas críticas e superou as expectativas, arrecadando 400 libras e libertando 142 homens da prisão. Os patrocinadores, tentando adicionar novos doadores, pediram às mulheres que deixassem de usar anáguas de arame por baixo de sua saia e incentivaram os homens a deixar suas espadas em casa.

Embora a obra tenha sido bem recebida em Dublin, ela não foi um sucesso em Londres, onde as plateias tinham dificuldade em aceitar que obras sacras fossem encenadas em teatros. Em 1749, uma outra apresentação beneficente para ajudar a construção do London Foundling Hospital (Hospital para órfãos de Londres) para bebês e crianças abandonadas começou a série de concertos que mais uma vez fizeram com que a plateia da obra O Messias tivesse uma apreciação renovada por ela. As apresentações da obra O Messias na época da Páscoa continuaram acontecendo todos os anos nesse hospital até a década de 1770, e Handel regeu ou participou de cada um deles até sua morte em 1759.

Cerca de 40 anos depois da estreia do oratório O Messias, o musicólogo inglês Charles Burney escreveu: "Esta grande obra foi ouvida em todas as partes do reino, com crescente reverência e alegria; alimentou os famintos, vestiu os nus, cuidou dos órfãos e enriqueceu os gerentes de oratórios mais do que qualquer produção neste ou em qualquer outro país".